Pular Links de NavegaçãoPágina inicial > Notícias

Aluna da Faculdade Alfredo Nasser tem artigo aceito em revista internacional


Gabriela Rodrigues de Sousa com o orientador da pesquisa, Prof. Dr. Aroldo Vieira de Moraes Filho

A aluna Gabriela Rodrigues de Sousa do 5º período de Biomedicina teve o artigo intitulado: "Evaluation of the Mutagenic Potential of Orlistat in Root Merymatic Cells of Allium cepa", aceito para a publicação na revista Global Journal of Medical Research.

A pesquisa foi desenvolvida pela aluna, sob orientação do Prof. Dr. Aroldo Vieira de Moraes Filho (Professor do ICS – Instituto de Ciências da Saúde da Faculdade Alfredo Nasser) e contou com a colaboração de outros pesquisadores do mesmo Instituto: Profa. Ma. Daniela Medeiros Lobo de Andrade, Profa. Dra. Mônica de Oliveira Santos e Profa. Dra. Angelma Genaro. A pesquisa também contou com a colaboração de uma professora e duas doutorandas da UFG (Universidade Federal de Goiás): Profa. Dra. Lílian Carla Carneiro, Ma. Raylane Pereira Gomes e Ma. Hellen Karine Paes Porto. Todos os envolvidos na pesquisa entraram como autores na publicação.

O trabalho foi desenvolvido na Faculdade Alfredo Nasser e contou com o financiamento para a pesquisa por meio da bolsa de iniciação científica do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC-Faculdade Alfredo Nasser) para a discente e para o professor orientador durante o período de um ano (de abril de 2016 a abril de 2017).

 “Este trabalho teve como objetivo avaliar a genotoxicidade de um dos medicamentos amplamente utilizado pela sociedade para tratar a obesidade, uma doença de alta incidência e que a cada dia vem aumentando entre indivíduos adultos tanto em países desenvolvidos quanto em países em desenvolvimento”, relata o Prof. Aroldo Filho, coordenador da pesquisa e doutor na área de Mutagênese.

Dentre os fármacos empregados no tratamento da obesidade, o Orlistat é de uso recente e amplamente utilizado pela comunidade, haja vista que a sua dispensação é isenta de prescrição médica. “A avaliação do risco-benefício de todo medicamento deve ser avaliada antes das prescrições e também a avaliação do risco carcinogênico; isso justifica a relevância da pesquisa desenvolvida no nosso Instituto afim de aumentar a segurança do usuário em relação a este medicamento em questão”, é o que nos conta a Profa. Daniela Medeiros, colaboradora da pesquisa e doutoranda em Farmacologia.

Mais notícias